haiku
                      joão tomaz parreira

 

 

nº 1

Modéstia do corpo:
a nudez duns seios nus
entre dois vestidos.
                                        

 

 

 


nº 2

Gaivotas no mar:
ramos da copa das águas
cheios de brancas folhas.
                                      

 

 

 


nº 3

A pedra no lago,
parte, em círculos, um Narciso
que se vê ao espelho.

                                                   

 

 

 


nº 4

Duas linhas correm
paralelas invisíveis:
o encontro no cais.

                                      

 

 

 


nº 5

Atrás da janela
estão o pássaro e a rosa:
presos ao seu corpo.

                                      

 

 

 


nº 6

Sombras na parede
da caverna de Platão:
a vida em silêncio.

                                                   

 

 

 


nº 7

Nenúfares no lago:
uma mesa que Deus põe
a flutuar no vidro.

                                      

 

 

 


nº 8

Ver as estrelas:
quando outra vez o punho
da noite bate em nós.

                                         

 

 

 


nº 9

As asas da chuva
abrem-se já perto do chão
e planam na flor.
                                  

 

 

 

             

João Tomaz Parreira nasceu em Lisboa, em 1947. Jornalista free-lancer da imprensa especializada nas áreas da Literatura, Artes Plásticas e Teologia. Poeta. Autor de 5 livros publicados entre 1973 e 1996. Participante em várias Antologias Poéticas, a última das quais editada em 2003. Conferencista, tendo trabalhado nesta área com palestras sobre Vergílio Ferreira e José Saramago, em 2003 e 2004.

 

;:;;

;;:

+ LITERATURA

  ®  dramaturgia  ®  Aldo Marcozzi & Tania Alice Feix  ®  Geraldo Lima  ®  Luciano Bonfim  ®  Miguel Carneiro
  ]  poesia  ]  Caio Gagliardi  João Tomaz Parreira  Júlio Lira  ]  Os 7 do Achamento  Os 7 da Bahia  Vicente Martins

 

ADJACÊNCIAS

© crítica ©  Caio Gagliardi interpela Ricardo Lima
©  Cândido Rolim lê "primeiro as coisas morrem"
©  Luiz D. Maia assiste Paris no cinema
} artigos } Daniel Glaydson obs. as mãos dos negros
} Vera C.N. e José A.B. pesq. visualidades poéticas
} Vicente Martins escreve a poetas de 45

 

:;;

;;:;

.: editorial :

 Bonfim                        Feix                        Glaydson

.: contato .

 famigerado@famigerado.com