vento e pica-pau,
                                                          éter e overdose.
                               
       wilmar silva

 

 

               cólera


sem dúvida essa fadiga que entardece
é mais forte do que o vento
o vento que não é da família dos chacais
e me procura com uma lente invisível

o vento que racha as paredes
e atravessa a pintura

o vento que atravessa a pintura
e diz que os decibéis
das flores que lhe oferto
estão em anomalia

 

 

 

 

                       arranjo de
                         pica-pau
                 e flor-de-lótus,
                               dia 4



o sangue no limiar das marés, córrego
inviolável de área livre para acesso,
como ensandecer lápis / ó flor de lótus
viola-me a índole que esculpo arrebóis
e, no convés de nau frágil - o baque
arrefece líquen colheita de anis látex
baque de peixe, escorpião/caranguejo
eu-pica-pau enxerto cidras na boca
e bico não apenas teu peito de paetê
, cítrico é meu desejo, azedo sou eu

 

 

 

 

                contemporâneo


sobrepujarás antes da iniciação,
o teu sono de rosto tombado varando os meus olhos ilhados
a minha insônia arrastando a tua respiração milenar.
(na cozinha, cascas ácidas de laranja-lima
despidas pela sede de teu cansaço mais do que incauto).
da cor do ouro sobrepujarão escoriações esvoaçantes,
os meus olhos encarnados em tua respiração milenar,
os morcegos na cabeça e as jias nos pés.
(no quarto, dois olhos encharcados de alívio
e as costas pacíficas debulhando insônia e sonolências).
insônia do éter e sonolências da overdose

 

 

 

             

Wilmar Silva nasceu em Rio Paranaíba, Estado de Minas Gerais. Reside em Belo Horizonte. Publicou, entre outros, Lágrimas & Orgasmos (1986, 2a. edição, anomelivros, 2002), Moinho de Flechas (Prêmio Jorge de Lima de poesia da União Brasileira de Escritores, Rio de Janeiro, 1994), Pardal de Rapina (Orobó Edições, 1999), Arranjo de Pássaros e Flores (Orobó Edições, 2002) e Cachaprego (anomelivros, 2004). Dramaturgo, ator e performer. Criou vários videopoemas. Presente em várias antologias de poesia brasileira contemporânea. Tem poemas publicados no Suplemento Literário de Minas Gerais, revista Dimensão, Brasil, revista Apeadeiro, Portugal, poemas traduzidos e publicados nas revistas: Jalons, França, Sîlarvs, Itália.

 

;:;;

;;:

+ LITERATURA

  ¡  tradução  ¡  Bashô e cummings : por Paulo de Toledo :  ¡  Ionesco : por Geraldo Lima :  ¡  Zimmermann : por Daniel Glaydson :

  ]  poesia  ]  Fabrício Marques  Geraldo Vasconcelos  Glauco Mattoso  Jovino Machado  Majela Colares  ]  Wilmar Silva
 

ADJACÊNCIAS

}  artigos  }
Carlos Pimenta cava buracos sintéticos
Salomón Valderrama arregla lo que hacer
Tania Alice Feix continua a esperar Godot
£  resenhas  £
£  Ângelo Oliveira sobre Michel Deguy
£  Fabrício Marques sobre José Aloise Bahia

 

:;;

;;:;

.: editorial :

 Bonfim                    Glaydson                      Pimenta

.: contato .

 famigerado@famigerado.com